Texto 6ºano - Interpretação - O outro lado do espelho


O outro lado do espelho

Dentro da sala, num dia de inverno, Alice se distraía olhando sua gatinha Diná lamber o filhote branco para deixá-lo limpo. O outro gatinho, o preto, corria pela sala: pulou em cima do tabuleiro de xadrez e derrubou a Rainha Vermelha.
Alice o segurou firme e falou zangada:
— Não abuse de minha paciência! Xadrez é um jogo para ser levado a sério. [...]
O gatinho ronronou. Alice achou que isso era uma resposta e o colocou em frente ao espelho, aconselhando:
— Se cruzar os braços e ficar em pé nas patas traseiras, você parece uma Rainha de xadrez.
O gatinho não sabia cruzar os braços e Alice ameaçou-o:
— Se continuar teimoso, eu o mando para a casa do espelho.
O gatinho se encolheu como se tivesse ficado com medo e ela o confortou:
— Não se assuste, eu sempre tive vontade de viver na casa do espelho. Faça de conta que conseguimos penetrar lá dentro.
Venha comigo.
Dito e feito: atravessaram o espelho. Alice observou que tudo era igual à outra sala, só que em desordem. As peças de xadrez estavam esparramadas pelo chão. Decidiu ver como era o jardim. Abriu a porta e foi para fora. Ao longe viu um morro e pensou: "Lá do alto poderei ver o jardim muito melhor".
Alice tomou a direção do morro, mas algo a puxava de volta para a casa. [...]
Insistiu em seguir até o morro em linha reta, mas o caminho deu um tranco violento que a fez ir parar de novo na porta da casa.
Zangada, se pôs a andar outra vez, até que esbarrou em um canteiro de margaridas e lírios e disse a um deles:
— Amigo Lírio, que pena as flores não falarem.
— Falamos, sim, mas só quando vale a pena.
— Todas as flores falam?
Nessa essa altura outras flores se meteram na conversa e Alice resolveu perguntar o que lhe interessava:
— Há mais gente neste jardim além de mim?
— Há, sim. Há uma flor que sabe se mover como você. Ela usa coroa — respondeu a Rosa.
— Ela aparece sempre por aqui?
— Lá vem ela! — gritou uma outra flor.
Alice olhou na direção apontada e viu a Rainha Vermelha do xadrez, que agora tinha mais de um metro de altura.
Alice se despediu das flores e tomou a direção em que vinha a Rainha. A Rosa avisou-a:
— Não vá por aí. Se quer encontrar-se com ela, vá na direção contrária à que ela vem.
A menina achou que aquele conselho era tolice e continuou a caminhar na direção da rainha. Perdeu-a de vista e voltou a se encontrar junto à porta da casa. Decidiu caminhar em sentido contrário, como aconselhara a Rosa. Desta vez acertou. Encontrou-se com a Rainha, em cima do morro que tanto tentara alcançar.

Lewis Carroll. Alice no país do espelho. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009. p. 4-6.

Novo Ensino Médio - O que mudou? Perguntas e respostas


Novo Ensino Médio - perguntas e respostas

O que é o Novo Ensino Médio?
A Lei nº 13.415/2017 alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e estabeleceu uma mudança na estrutura do ensino médio, ampliando o tempo mínimo do estudante na escola de 800 horas para 1.000 horas anuais (até 2022) e definindo uma nova organização curricular, mais flexível, que contemple uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a oferta de diferentes possibilidades de escolhas aos estudantes, os itinerários formativos, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional. A mudança tem como objetivos garantir a oferta de educação de qualidade à todos os jovens brasileiros e de aproximar as escolas à realidade dos estudantes de hoje, considerando as novas demandas e complexidades do mundo do trabalho e da vida em sociedade.

O que é a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)?
É um conjunto de orientações que deverá nortear a (re)elaboração dos currículos de referência das escolas das redes públicas e privadas de ensino de todo o Brasil. A Base trará os conhecimentos essenciais, as competências, habilidades e as aprendizagens pretendidas para crianças e jovens em cada etapa da educação básica. A BNCC pretende promover a elevação da qualidade do ensino no país por meio de uma referência comum obrigatória para todas as escolas de educação básica, respeitando a autonomia assegurada pela Constituição aos entes federados e às escolas. A carga horária da BNCC deve ter até 1800, a carga horária restante deverá ser destinada aos itinerários formativos, espaço de escolha dos estudantes.

E o que são os itinerário formativos?
Os itinerários formativos são o conjunto de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo, entre outras situações de trabalho, que os estudantes poderão escolher no ensino médio. Os itinerários formativos podem se aprofundar nos conhecimentos de uma área do conhecimento (Matemáticas e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas) e da formação técnica e profissional (FTP) ou mesmo nos conhecimentos de duas ou mais áreas e da FTP. As redes de ensino terão autonomia para definir quais os itinerários formativos irão ofertar, considerando um processo que envolva a participação de toda a comunidade escolar.

Quais serão os benefícios para os estudantes com a nova organização curricular?
O Novo Ensino Médio pretende atender às necessidades e às expectativas dos jovens, fortalecendo o protagonismo juvenil na medida em que possibilita aos estudantes escolher o itinerário formativo no qual desejam aprofundar seus conhecimentos. Um currículo que contemple uma formação geral, orientada pela BNCC, e também itinerários formativos que possibilitem aos estudantes aprofundar seus estudos na(s) área(s) de conhecimento com a(s) qual(is) se identificam ou, ainda, em curso(s) ou habilitações de formação técnica e profissional, contribuirá para maior interesse dos jovens em acessar a escola e, consequentemente, para sua permanência e melhoria dos resultados da aprendizagem.

Poema Gonçalves Dias "Consolação nas lágrimas" exercícios (interpretação)


Como é belo à meia noite
O azul do céu transparente,
Quando a esfera d’alva lua
Vagueia mui docemente,
Quando a terra não ruidosa
Toda se cala dormente,
Quando o mar tranqüilo e brando
Na areia chora fremente!

Como é belo este silêncio
Da terra todo harmonia,
Que aos céus a mente arrebata
Cheia de meiga poesia!
Como é bela a luz que brilha
Do mar na viva ardentia!
Este pranto como é doce,
Que entorna a melancolia!

Esta aragem como é branda
Que enruga a face do mar,
Que na terra passa e morre
Sem nas folhas sussurrar!
Os sons d’aéreo instrumento
Quisera agora escutar,
Quisera mágoas pungentes
Neste silêncio olvidar!

O azul do céu, nem da lua
A doce luz refletida,
Nem o mar beijando a praia,
Nem a terra adormecida,
Nem meigos sons, nem perfumes,
Nem a brisa mal sentida,
Nem quanto agrada e deleita,
Nem quanto embeleza a vida;

Nada é melhor que este pranto
Em silêncio gotejado,
Meigo e doce, e pouco e pouco
Do coração despegado;
Não soro de fel, mas santo
Frescor em peito chagado;
Não espremido entre dores,
Mas quase em prazer coado!

Gonçalves Dias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...