“Sua única obrigação é estudar!” – como essa afirmação pode prejudicar seu filho.


Empatado com “eu avisei” e “no meu tempo era diferente”, a famosa “Sua única obrigação é estudar!” é uma das expressões que os pais mais usam.

Mas qual o problema em dizer isso para o filho?

O grande problema está na ideia da criança ou adolescente ter como única responsabilidade estudar! Quem guarda as roupas? Quem guarda os brinquedos? Faz a lista de compras? Lava a louça? Coloca a mesa para as refeições? Não importa a classe social da família, é fundamental que os pais dividam responsabilidades da casa com seus filhos.

Ao ajudar em casa, além de começar a criar o senso de responsabilidade, a criança também desenvolve uma área do cérebro que é fundamental para que ela aprenda melhor os conteúdos ensinados na escola. O filho que não ajuda em casa tem carência de memórias de procedimentos. Este tipo de memória é essencial para resolução de problemas e aprendizagem de conteúdos que são baseados em um passo-a-passo. Muitas vezes a criança que tem como única obrigação estudar é o aluno que sabe todas as operações matemáticas, mas quando precisaria usar esse conhecimento para resolver um problema não consegue perceber a relação entre as operações matemáticas e o desafio que tem em mãos.

Outro efeito colateral dessa prática é não gostar ou ter preguiça de estudar – o que é muito comum entre crianças e adolescentes nos dias atuais. Muitas vezes, a criança nunca teve que assumir nenhuma outra responsabilidade, pois a única obrigação dela sempre foi estudar. É exatamente disto que ela tem preguiça: de assumir responsabilidades, não de estudar! 

Vale lembrar que a divisão de tarefas em casa jamais deve ser colocada como um castigo. É uma forma de educar para um futuro melhor, tanto no aspecto pessoal como cognitivo. O maior beneficiado será seu filho, porém ele precisa de sua ajuda para descobrir isso.  




Imagem: Google