Atividade sobre bullying - Interpretação de texto Mario Sergio Cortella


Leia o fragmento abaixo, de Mario Sergio Cortella, e responda às questões. 

[ ... ] 
Atualmente fala-se bastante, por exemplo, em bullying; penso, inclusive, que não necessitamos usar o termo em inglês, pois a existência do verbo "bulir" em português é suficiente, por ter o sentido de "mexer de forma incômoda com alguém". Tem-se a sensação de que o bulir é algo exclusivo da escola, mas a educação que recebemos em casa pode incentivar a violência ou ajudar a combatê-la, e não devemos ficar na "pura espera". 
A temática foi agudizada nos últimos tempos por ter ganhado novas amplificações com o uso das redes sociais para disseminar também a discriminação e o preconceito; parte dos pais e educadores ainda não percebeu que, como dizem os bombeiros [...], "nenhum incêndio começa grande; todos principiam por uma fagulha, uma pequena chama, um disparo".
Assim, a família e a escola devem recusar qualquer expressão, mesmo que mínima, de intolerância e agressão. 

(Não se desespere! Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 61-2.) 

1. A ideia geral do texto se refere: 
a) à responsabilidade da família e da escola nos atos de bullying. 
b) à possibilidade de permutar o termo em inglês pela forma em português. 
c) ao emprego das redes sociais para intensificar o bullying. 
d) ao emprego de uma linguagem que reflete a intolerância. 

2. A citação entre aspas "nenhum incêndio começa grande; todos principiam por uma fagulha, uma pequena chama, um disparo" está adequadamente explicada em: 
a) O uso das redes sociais ampliou os atos de intolerância. 
b) Deve-se impedir qualquer manifestação de discriminação. 
c) A educação o que recebemos em casa pode incentivar a violência. 
d) Parte dos pais e educadores considera o bullying uma moda passageira. 



Gabarito: A | B
Imagem: Google