Gregório de Matos - Poemas escolhidos - Exercícios para Enem e vestibulares com respostas

Imagem: Google

Leia o poema e responda às questões.

Soneto 
Ó tu do meu amor fiel traslado
Mariposa, entre as chamas consumida,
Pois se à força do ardor perdes a vida,
A violência do fogo me há prostrado.

Tu de amante o teu fim hás encontrado,
Essa flama girando apetecida,
Eu girando uma penha endurecida,
No fogo, que exalou, morro abrasado.

Ambos, de firmes, anelando chamas,
Tu a vida deixas, eu a morte imploro
Nas constâncias iguais, iguais nas famas.

Mas, ai!, que a diferença entre nós choro;
Pois acabando tu ao fogo, que amas,
Eu morro, sem chegar à luz, que adoro.

MATOS, Gregório de. Poemas escolhidos. 
São Paulo: Cultrix, 1981. p. 225. 


fiel traslado: fiel tradução, isto é, imagem fiel; 
prostrado: abatido; 
apetecida: desejada, intensamente cobiçada; 
penha: rocha, penhasco; 
anelar: desejar. 


1. O poema desenvolve uma imagem - ou o "fiel traslado" - do amor: a mariposa girando em torno da chama de uma lâmpada ou de uma vela. 

a) O que a mariposa representa nessa imagem? 
b) E a chama? 

2. A metáfora da pedra, ou da penha, como no texto, também é um lugar-comum utilizado na linguagem cotidiana: "coração de pedra". Por que o sujeito lírico diz que morre "girando uma penha endurecida"?

3. Até a terceira estrofe, o poema desenvolve a imagem detalhando as semelhanças entre o amor e a atração que a chama exerce sobre a mariposa. Por que, então, apesar de todas as semelhanças, a situação do amante é pior do que a da mariposa, segundo se depreende da última estrofe? 

Gabarito

1. 
a) Representa o amante, o sujeito lírico.
b) Representa a mulher amada, aquela que atrai o sujeito lírico.

2. Porque a mulher amada não corresponde ao seu amor.

3. Porque a mariposa morre, mas atinge o fogo que a atrai, enquanto o amante morre inutilmente, sem nunca atingir a luz, isto é, sem conquistar a mulher amada.