Artigo de opinião para ensino médio: Os pedestres vão recuperar sua cidadania?


O artigo de opinião que você vai ler, escrito por um especialista em trânsito e transporte urbano, foi publicado no caderno Cotidiano do jornal Folha de S.Paulo. No mesmo dia, o jornal veiculava uma notícia sobre a campanha da prefeitura de São Paulo para aumentar a segurança dos pedestres, com aplicação de multas aos motoristas que desrespeitassem a preferência dos que andam a pé na travessia de ruas. É a essa campanha que a  palavra projeto, no subtítulo do artigo, se refere. 

Os pedestres vão recuperar sua cidadania? 
Projeto encontrará grande resistência por parte dos que se acostumaram a uma liberdade injusta e opressiva 

O programa de melhoria das condições de segurança dos pedestres da Prefeitura de São Paulo é a melhor notícia relativa ao trânsito da cidade nos últimos dez anos. O respeito aos pedestres é essencial em um ambiente de trânsito marcado pela violência e pela incivilidade. 
Em uma cidade que foi construindo a insustentabilidade nas últimas cinco décadas por meio de projetos absurdos de incentivo generalizado ao uso do automóvel, em um ambiente de desigualdade social e econômica e com baixo nível de cidadania, as pessoas com acesso ao automóvel se acostumaram a usar as vias como propriedade particular, sem respeitar os usuários mais numerosos e mais frágeis, como os pedestres e os ciclistas. 
Motoristas e motociclistas ignoram esses usuários e dirigem em velocidades que podem matar um pedestre ou um ciclista em segundos. 
A falta de fiscalização agravou o problema, permitindo que a ocupação das vias continuasse sendo feita na base da força e do uso violento de um veículo individual. O projeto em curso, portanto, é muito relevante. Ele tem de ser expandido para outras áreas da cidade. 
Também é preciso uma redução generalizada da velocidade máxima nas ruas. O projeto encontrará grande resistência por parte dos que se acostumaram a esta liberdade injusta e opressiva. Sua superação exigirá não só recursos humanos e materiais, mas também um processo amplo de discussão da cidadania a fim de que a civilidade substitua a força na utilização do espaço viário. 
Persiste, porém, um sério problema estrutural. A ideologia do crescimento baseado no automóvel e na expansão indiscriminada do sistema viário ainda está viva, comprovada pela decisão da prefeitura de construir um túnel para veículos particulares na parte sul da cidade, de quase R$ 4 bilhões, o que é um acinte quando consideramos, por exemplo, a necessidade de melhorar o nosso sistema de transporte público. 
Além disto, a proposta nega o movimento crescente no mundo e no Brasil para alterar esse sistema iníquo e falido de apoio ao transporte individual. Enquanto esta mentalidade persistir, o projeto de resgate dos direitos dos pedestres e da reconstrução de um ambiente de trânsito civilizado terá enormes dificuldades de obter sucesso. O governo municipal, portanto, precisará mostrar de que lado finalmente está. 

Eduardo Vasconcellos. Folha de S.Paulo, 8 ago. 2011.

1. O artigo de Eduardo Vasconcellos discute o programa de melhoria das condições de segurança dos pedestres da prefeitura de São Paulo. Ao ler o texto, você percebeu em que time o autor joga. Qual é o ponto de vista defendido por ele?

2. A opinião do articulista fica clara no uso de algumas palavras e expressões.
a) No texto, a quem se refere a expressão liberdade injusta e opressiva?
b) Que visão sobre essa liberdade as palavras injustas e opressiva revelam? 

3. Indique, nas expressões a seguir, as palavras que mostram um julgamento do autor.

I. [...] projetos absurdos de incentivo generalizado ao uso do automóvel [...]
II. [...] uso violento de um veículo individual.
III. [...] sistema iníquo e falido de apoio ao transporte individual. 

4. No primeiro parágrafo, ao apresentar sua opinião, o articulista faz uma generalização. Veja. 

O respeito dos pedestres é essencial em um ambiente de trânsito marcado pela violência e pela incivilidade. 

a) Para convencer o leitor de que a generalização é verdadeira, o autor do artigo apresenta fatos e exemplos que a comprovam. Releia o segundo e o terceiro parágrafos e copie um argumento que se baseia em um exemplo do dia a dia e em fatos históricos.

b) Além dos argumentos apontados no item a, que outra razão o autor apresenta para o aumento da violência no trânsito?

5. No penúltimo parágrafo, o autor afirma que a ideologia do crescimento baseado no automóvel ainda persiste. Que argumentos ele usa para comprovar essa afirmação? 

6. Segundo o autor, os motoristas agem de modo egoísta no trânsito porque são maus ou porque foram incentivados a se comportar assim? Explique. 

7. Recorde o título do artigo de opinião: Os pedestres vão recuperar a cidadania?

O autor responde sim ou não á pergunta do título? Explique. 

8. Segundo o autor do texto, é preciso mudar a mentalidade de apoio ao transporte individual para se ter um ambiente de trânsito mais pacífico. 
a) Você concorda com essa opinião? Por quê?
b) Na cidade onde você mora, os pedestres têm seus direitos garantidos? 
Gabarito

1. O ponto de vista dos que defendem medidas para um trânsito mais civilizado e mudanças na mentalidade que privilegia o transporte individual em detrimento do público.

2. 
a) Aos motoristas que andam em alta velocidade.
b) Uma visão negativa. 

3. 
I. absurdos
II. violento
II. iníquo e falido 

4. 
a) exemplo do dia a dia: “Motoristas e motociclista ignoram esses usuários e dirigem em velocidades que podem matar um pedestre ou um ciclista em segundos.”
fatos históricos: “Em uma cidade que foi construindo a insustentabilidade nas últimas cinco décadas por meio de projetos absurdos de incentivo generalizado ao uso do automóvel [...] as pessoas com acesso ao automóvel se acostumaram a usar as vias como propriedade particular[...]” 
b) A falta de fiscalização, que agravou o problema da violência no trânsito ao não reprimir comportamentos inadequados. 

5. O autor usa um exemplo concreto (a decisão da prefeitura de construir um túnel na parte sul da cidade) e um dado numérico (o valor dessa construção,” de quase 4 bilhões de reais”.)

6. Porque foram incentivados a agir assim. O autor relaciona o comportamento dos motoristas no trânsito a uma série de políticas (“projetos absurdos”) equivocadas dos sucessivos governos da cidade. 

7. Resposta pessoal.

8. 
a) Resposta pessoal.
b) Resposta pessoal.