Exercícios sobre sujeito simples, composto e desinencial com interpretação (1ºano do ensino médio)


1. Leia os poemas a seguir. 

Happy end 

o meu amor e eu 
nascemos um para o outro 
agora só falta quem nos apresente 

Cacaso. Poesia marginal. São Paulo: Ática, 2006. (Coleção Para Gostar de Ler). v. 39. p. 16. 

Os poemas 

Os poemas são pássaros que chegam 
não se sabe de onde e pousam 
no livro que lês. 
Quando fechas o livro, eles alçam voo 
como de um alçapão. 
Eles não têm pouso 
nem porto 
alimentam-se um instante em cada par de mãos 
e partem. 
E olhas, então essas tuas mãos vazias, 
no maravilhoso espanto de saberes 
que o alimento deles já estava em ti... 

Mario Quintana. Esconderijos do tempo. São Paulo: Globo, 2005. p. 27. 

A respeito do poema de Cacaso, responda. 

a) Em sua opinião, por que o poema é intitulado "Happy end"? 
b) O poema fala de duas pessoas. Copie as palavras que são usadas para se referir a elas. 
c) Copie a palavra que exprime a ação realizada por essas duas pessoas. 

2. Identifique o assunto tratado em "Os poemas". 

a) A que os poemas são comparados no texto? 
b) Explique com suas palavras como essa comparação é apresentada ao longo do poema. 
c) O texto fala de uma determinada impressão que o leitor pode ter após a leitura de um poema. Explique que impressão é essa. Você já a experimentou após ler algum texto? 

3. Releia. 
"Eles não têm pouso 
nem porto 
alimentam-se um instante em cada par de mãos 
e partem." 

A quem se referem as ações dos verbos em destaque? 

Ao analisarmos algumas orações desses poemas, podemos observar que são compostas de diferentes tipos de sujeito, os quais estudaremos agora. 

4. Leia este trecho de uma entrevista concedida pelo poeta José Paulo Paes.

Se algum jovem candidato a escritor o procurasse, em busca de conselhos, você lhe diria o quê?

J.P.P: Diria que ninguém precisa de conselho, que todo mundo sabe errar sozinho... em princípio. Depois diria que ele precisa assumir a poesia como um risco [...] A prática da literatura é um risco que o sujeito tem que assumir como único responsável. A única forma de conselho e aprendizagem a que ele deve recorrer é a dos livros. Todo jovem tem certos poetas a quem admire; ele que procure comparar o que faz ao que esses poetas fizeram. [...] Se você precisar de mestres, vá procurá-los nos livros: são mestres mudos e não chateiam a gente. 

a) Na sua opinião, o conselho do poeta aos jovens que desejam ser escritores também vale para quem quer seguir outras profissões? Por quê?
b) Em “Depois diria que ele precisa assumir a poesia como um risco [...]”, a quem o pronome ele se refere?
c) Que outros verbos ou locuções verbais têm esse mesmo sujeito, desinencial ou não?
d) Na ultima frase, o sujeito de precisar e é você. No contexto, a quem esse pronome se refere?
e) No decorrer da sua fala, o poeta muda o sujeito ele para você. Que efeito de sentido isso provoca no leitor da entrevista? 

5. Leia a fábula “O urso e as abelhas”, de Esopo, observando o sujeito das orações. 

Um urso topou com uma árvore caída que servia de depósito de mel para um enxame de abelhas. Começou a farejar o tronco quando uma das abelhas voltou do campo de trevos. Adivinhando o que ele queria, deu uma picada daquelas no urso e depois desapareceu no buraco do tronco. O urso ficou louco de raiva e se pôs a arranhar o tronco com as garras na esperança de destruir o tronco. A única coisa que conseguiu foi fazer o enxame inteiro sair atrás dele. O urso fugiu a toda velocidade e só se salvou porque mergulhou de cabeça num lago.

Moral: Mais vale suportar um só ferimento em silêncio que perder o controle e acabar todo machucado. 

Esopo. Fábulas de Esopo. Compilação de Russel Ash e Bernard Higton. São Paulo: Companhia das Letrinas, 2005.p.24

a) Observe os sujeitos das orações desse texto. O que é possível identificar?
b) Reescreva a fábula empregando o sujeito desinencial para evitar as repetições do mesmo termo. 

6. Identifique o sujeito das frases a seguir e indique seus núcleos. Depois, classifique os sujeitos simples, composto e desinencial.

a) A opinião de poetas experientes influencia muito o principiante. 
b) Peçam ajuda aos livros!
c) São decisivas para um poeta suas primeiras influências.
d) Surgiram palpites e conselhos absurdos de todos os lados.
e) Vocês, poetas, podem sempre se refugiar nas palavras. 

Gabarito

1. 
a) O título é irônico: supõe haver um happy end (final feliz, em inglês) entre o eu lírico e alguém. Mas como o eu lírico ainda não conhece esse alguém, não é possível saber se ele vai de fato conhecer essa pessoa, de modo que o final feliz é apenas uma suposição ou desejo.
b) Eu e meu amor.
c) Nascemos. 

2. 
a) A pássaros.
b) Os poemas, assim como os pássaros, se aproximam das pessoas que os leem e se alimentam do que elas lhes oferecem (experiências pessoais) como se estivessem comendo em suas mãos. Terminada aquela leitura, partem novamente para a leitura de outra pessoa, encontrando novo alimento. 
c) Resposta pessoal. 

3. A eles (os pássaros). 

4.
a) Resposta pessoal.
b) Ao jovem candidato a escritor a quem o poeta dirige o seu conselho. 
c) Deve recorrer, admire, procure comparar, faz.
d) Também se refere ao jovem candidato a escritor a quem o poeta dirige o seu conselho.
e) A mudança de sujeito na fala do poeta aproxima o leitor, que pode se identificar com o sujeito você. 

5.
a) É possível observar que o sujeito o urso se repete muito. 
b) Resposta pessoal.

6. 
a) Sujeito: A opinião de poetas experientes; núcleo: opinião; sujeito simples.
b) Sujeito: vocês; núcleo: vocês; sujeito desinencial.
c) Sujeito: suas primeiras influências; núcleo: influências; sujeito simples.
d) Sujeito: palpites e conselhos absurdos; núcleos: palpites e conselhos; sujeito composto.
e) Sujeito: vocês; núcleo: vocês; sujeito simples.