Atividade de interpretação - 6ºano - Diferenças e inclusão


VEJA TAMBÉM:
Por que Heloísa? - O conceito de deficiência (vídeo)

Leia o texto com atenção. 

O menino "cadeirantinho"
JAIRO MARQUES 
COLUNISTA DA FOLHA

Desde quando eu era molequinho, faz teeeempo, ando montado em uma cadeira de rodas para ir daqui para acolá. Mas ser um menino "cadeirantinho" nunca me impediu de brincar e de agitar as brincadeiras da minha turma.
O meu "cavalo de rodas" já foi um navio que atravessou oceanos para combater piratas, com o pessoal se enroscando em mim. Já foi carro de Fórmula 1, com os meninos disputando quem seria o meu piloto. Dava medo da velocidade, mas, com cuidado, era muito gostoso. No futebol, fui goleiro e técnico do time. No esconde-esconde, eu tinha a vantagem de ter mais tempo para sumir. É justo, vai! No videogame, eu não precisava de regra especial, só de mais espaço na sala mesmo.
Todos podem e querem se divertir na infância, e sempre há um jeito para que até aquele colega mais desarranjado, todo tortinho, consiga brincar junto, ensinar sua maneira de jogar, de se segurar no balanço, de virar a figurinha no "bafo".
O colega cego, surdo, com paralisa cerebral, "cadeirantinho" ou que tenha qualquer diferença quer aproveitar o mundo do jeito que todos querem. E sempre é possível colocá-los na roda, basta usar a imaginação, abrir bem os braços e dar um sorriso de "seja bem-vindo".

1. De acordo com o texto, o que o narrador quer dizer quando afirma ser um menino "cadeirantinho"?

2. Ser um menino "cadeirantinho" o impedia de brincar com seus colegas? 

3. Cite algumas brincadeiras que ele brincava quando criança.

4. Todas as crianças podem se divertir na infância? Justifique sua resposta.

5. O que é preciso fazer para que os colegas que têm algumas diferenças possam participar das brincadeiras?

VEJA TAMBÉM:
Por que Heloísa? - O conceito de deficiência (vídeo)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...