Texto narrativo - Interpretação com respostas (8ºano)


As aventuras de Huckleberry Finn, do escritor estadunidense Mark Twain, publicado em 1855,  narra a história de um jovem, Huck Finn, que não se sentia pertencente à sociedade. Finn não ficava à vontade na casa das senhoras que o adotaram, nem na companhia do pai. Certo dia, então, ele decidiu fugir e,  em sua jornada, encontrou Jim, um escravo fugitivo, a quem ajudou em sua fuga e com quem desenvolveu uma relação de amizade. A personagem Huck Finn narra suas aventuras ao longo do rio Mississippi. 

Leia a seguir um trecho do livro e depois responda às questões. 

As aventuras de Huckleberry Finn 
[...] 
Parei um pouco e quase desmaiei. Encurralado nos destroços de um barco a vapor com um bando desses! Mas não era hora de ficar se sentimentalizando. Agora a gente tinha que encontrar esse bote - precisava dele pra gente. Então a gente seguiu tremendo e vacilando pelo lado de estibordo, e foi também um deslocamento lento - tive a impressão que a gente levou uma semana pra chegar na popa. Nem sinal do bote. Jim disse que achava que não podia ir adiante - tava tão assustado que não tinha mais força sobrando, disse ele. Mas eu disse vamos, se a gente fica pra trás nesse barco destruído, aí sim a gente tá numa sinuca. Então a gente foi em frente, a esmo. Começou a procurar a popa do tombadilho e encontrou, e aí seguiu tateando pra frente em cima da claraboia, nos agarrando de estore em estore, porque a beirada da claraboia tava dentro d'água. Quando a gente chegou bem perto da porta do corredor transversal, lá tava o bote, sem tirar nem pôr! Eu mal podia ver ele. Nunca me senti tão agradecido. Mais um segundo e eu já me via a bordo, mas bem nesse momento a porta se abriu. Um dos homens enfiou a cabeça pra fora, só mais ou menos a meio metro de mim, e pensei que eu tava perdido. Mas ele puxou de novo a cabeça pra dentro e disse: 
— Tira esta lanterna desgraçada da vista, Bill! 
Atirou um saco de alguma coisa dentro do bote, depois entrou na embarcação e se sentou. Era Packard. Aí Bill ele apareceu e entrou no bote. Packard disse em voz baixa: 
— Tudo pronto ... toca o barco! 
Eu quase não conseguia me agarrar nos estores, tava fraco demais. Mas Bill diz: 
— Espera ... ocê revistou ele' 
— Não. E ocê? 
— Não. Ele ainda tem a parte dele do dinheiro. 
— Bem, então, vamos lá... num adianta levar as coisas e deixar o dinheiro. 
— Ei ... será que ele não suspeita o que ta mo fazendo? 
— Talvez não. Mas temos que pegar o dinheiro de qualquer jeito. Vamos. 
Então saíram do bote e entraram no navio. 
A porta bateu, porque tava no lado adernado, e em meio segundo eu tava no bote, e Jim veio aos trambolhões atrás de mim. Tirei a minha faca e cortei a corda, e aí a gente foi embora!
A gente não tocou em nenhum remo, e a gente não falou nem sussurrou, quase nem respirou. Deslizou rápido, num silêncio mortal, passando pela ponta do tambor da roda e passando pela popa; depois, em mais alguns segundos, a gente tava cem metros além do vapor naufragado, e a escuridão tomou conta de tudo, apagou até o último sinal dos destroços. A gente tinha se safado e sabia disso. 
[...] 

Mark Twain. As aventuras de Huckleberry Finn. Tradução de Rosaura Eichenberg. 
Porto Alegre: LP&M, 2011. E-book. 

GLOSSÁRIO
adernado: inclinado.
estore: cortina que se rola e desenrola por meio de dispositivo. 

1. Responda às questões acerca do trecho lido: 
a) Quem são os interlocutores na história? Quem narra a história? 
b) Identifique as personagens principais. Como podemos reconhecer os protagonistas e os antagonistas? Qual é a personagem secundária e seu papel na narrativa? 
c) Em que espaço a narrativa se passa? 

2. O que motiva a ação das personagens no trecho lido? 

3. No clímax, protagonista e antagonistas chegam a se enfrentar realmente? Explique. 

4. Com base na resposta acima, explique: Por que o clímax dessa cena é o momento mais emocionante do trecho transcrito? 

5. Releia o trecho a seguir e responda às questões. 
Um dos homens enfiou a cabeça pra fora, só mais ou menos a meio metro de mim, e pensei que eu tava perdido. Mas ele puxou de novo a cabeça pra dentro e disse: 
— Tira esta lanterna desgraçada da vista, Bill! 
Atirou um saco de alguma coisa dentro do bote, depois entrou na embarcação e se sentou. 
Era Packard. Aí Bill ele apareceu e entrou no bote. 

a) Quem são os interlocutores do diálogo no trecho? 
b) Qual é a intencionalidade do interlocutor em: "Tira esta lanterna desgraçada da vista, Bill!" Justifique mencionando uma marca linguística presente na frase. 

6. Releia este trecho: 
A porta bateu, porque tava no lado adernado, e em meio segundo eu tava no bote, e Jim veio aos trambolhões atrás de mim. Tirei a minha faca e cortei a corda, e aí a gente foi embora!
A gente não tocou em nenhum remo, e a gente não falou nem sussurrou, quase nem respirou. 

7. No desfecho da história, o protagonista alcança seu objetivo? Que imagem ilustra mais adequadamente o fim do perigo nessa situação?

RESPOSTAS