Variação linguística 6ºano - Atividade com gabarito - Habilidade EF69LP55

O trecho a seguir foi retirado do romance Inocência, escrito por Visconde de Taunay no século XIX. Nele, o autor, pretende fazer um retrato da vida rural e de seus personagens. Leia o excerto com atenção para responder às questões.

[...] Ocasiões há em que o sertanejo dá para assobiar. Cantar, é raro; ainda assim, à surdina; mais uma voz íntima, um rumorejar consigo, do que as notas saídas do robusto peito. Responder ao pio das perdizes ou ao chamado agoniado da esquiva jaó, é o seu divertimento em dias de bom humor. [...]

Cresce-lhe o orgulho na razão da extensão e importância das viagens empreendidas; e seu maior gosto consiste em enumerar as correntes caudais que transpôs, os ribeirões que batizou, as serras que superou e os pantanais que afoitamente cortou, quando não levou dias e dias a rodeá-los com rara paciência.

A certeza que tem de que nunca poderá perder-se na vastidão, como que o liberta da obsessão do desconhecido, o exalta e lhe dá foros de infalibilidade.

Se estende o braço, aponta com segurança o espaço e declara peremptoriamente: 

– Neste rumo daqui a 20 léguas fica o espigão mestre de uma serra braba, depois um rio grosso; dali a cinco léguas outro mato sujo que vai acabar num brejal. Se vassuncê frechar direitinho assim umas duas horas, topa com o pouso do Tatu, no caminho que vai a Cuiabá. 

[...] A única interrupção que aos outros consente, quando conta os inúmeros descobrimentos, é a da admiração. À mínima suspeita de dúvida ou pouco caso, incendem-se-lhe de cólera as faces e no gesto denuncia indignação.

– Vassuncê não credita! protesta então com calor. Pois encilhe o seu bicho e caminhe como eu lhe disser.

TAUNAY, Visconde de. Inocência. 30. ed. São Paulo: Ática, 2011. (Fragmentos).

Glossário
Exalta:
provoca estímulo, entusiasmo.
Foros de infalibilidade: certeza de que é infalível.

Questão 1
Explique, com suas próprias palavras, o que a personagem do sertanejo quer dizer quando fala em “serra braba”. 

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

Questão 2

Pode-se dizer que, ao observar a fala típica da personagem retratada, em palavras como “braba”, “vassuncê” ou “credita”, percebemos que o sertanejo fala errado? Explique.

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

GABARITO

Questão 1
Essa questão avalia a capacidade do aluno para compreender e explicar o sentido de um item lexical empregado em uma variante rural da língua portuguesa, abordando a habilidade EF69LP55.

Resposta esperada: A expressão “serra braba” faz referência a uma serra que apresenta dificuldades para ser atravessada. 

Espera-se que a principal dificuldade dos alunos resida na explicação precisa do sentido da expressão. Nesse caso, o professor deve apontar que o adjetivo “braba” indica que a personagem percebe a serra como uma espécie de antagonista. Considerando o contexto, que descreve o sertanejo como um viajante orgulhoso, podemos inferir que ele enxerga a serra como um obstáculo que deva ser “superado”.

Questão 2
A questão avalia se o aluno é capaz de observar as diferentes variantes linguísticas e adotar, em relação a elas, uma atitude despida de preconceitos, de acordo com a habilidade EF69LP55.

Resposta esperada: Não se pode afirmar que o sertanejo fale errado. Formas como “braba”, “vassuncê” e “credita” indicam que ele emprega uma variante linguística particular (rural), que difere das variantes de prestígio, mas que possui a mesma legitimidade que elas.

Nessa questão, é possível que os alunos afirmem que formas linguísticas como “braba”, “vassuncê” e “credita” indicam erros no emprego da língua portuguesa. Nesse caso, o professor deve retomar as discussões acerca do fenômeno da variação linguística, enfatizando que todas as variantes são diferentes formas de manifestação da língua e que nenhuma é intrinsecamente mais correta ou errada que as outras. 

O que ocorre é que algumas delas são prestigiadas em sociedade e, por isso, seu emprego é exigido em situações de maior formalidade, enquanto outras são alvo de preconceito linguístico.